Make your own free website on Tripod.com

A Roda do Ano

No passado quando as pessoas viviam em conjunto com a Natureza o passar das estações e os ciclos lunares tinham um profundo impacto em cerimônias religiosas. Por ser a Lua vista como um símbolo da Deusa cerimônias de adoração e magia aconteciam sob sua luz. A chegada do inverno, as primeiras atividades da primavera, o quente verão e a entrada do outono também eram marcadas por rituais.

O calendário religioso Wiccaniano possui 13 celebrações da Lua Cheia e 8 Sabaths.

Quatro dessas noites são determinadas pelos solstícios e equinócios, o início astronômico das estações. Os outros 4 rituais baseiam-se em antigos festivais folclóricos, os rituais estruturam e ordenam o ano Wiccaniano além de nos lembrar do infinito ciclo que perdurará muito depois que partirmos.

Os Sabaths são rituais solares assinalando pontos no ciclo anual do Sol e constituem apenas metade do ano ritual Wiccaniano. Os Esbaths são as celebrações Wiccanianas da Lua Cheia, nesta data nós reunimos para cultuar a Deusa, não que omitamos o Deus nos Esbaths pois ambos são normalmente reverenciados em todas as ocasiões.

Anualmente ocorrem 12 ou 13 Luas Cheias ou 1 a cada 28 1/4 dias, a Lua é um símbolo da Deusa bem como uma fonte de energia, assim após os aspectos religiosos dos Esbaths muitos bruxos costumam praticar magia, desfrutando do maior poder energético deste período.

Os sabaths nos contam uma das estórias da Deusa e do Deus, de sua relação e de seus efeitos sobre a fertilidade da Terra. Muitas são as variações destes mitos, mas eis aqui um relativamente comum, entrelaçando as descrições básicas dos sabaths :

 

Yule ou Solstício de Inverno - Representa o nascimento do Deus, é a noite mais escura do ano e marca o apogeu da escuridão na Terra. Por outro lado é o primeiro dia de sua decadência pois a Criança Sagrada, o Menino Sol nascerá trazendo a Luz ao Planeta, assim também marca o retorno da força solar. Em Yule é tempo de celebrar o início de todas as coisas e devemos meditar sobre novos projetos, novos amores, nova vida, ...

Imbolc ou Candlemas - Imbolc vem para confirmar Yule, a Deusa retorna ao seu povo em Imbolc, novamente virgem trazendo com ela novas esperanças, nova promessa de vida. O Deus agora já não é mais uma criança e agora se apresenta como um belo jovem que com o passar dos dias se fortifica, em Imbolc devemos nos livrar de tudo o que é velho e desgastado para darmos lugar ao novo.

Ostara ou Equinócio de Primavera - Em Ostara comemoramos o primeiro dia da Primavera, na natureza tudo desabrocha: a Deusa cobre a terra com um manto de fertilidade e juntamente ao Deus estimula todos os seres vivos a reprodução. O Deus agora mais maduro esta cada vez mais forte, é tempo de enfeitar o altar com flores e frutos da época.

Beltane - É o período que o Deus torna-se sexualmente maduro, agora ele é um Homem que apaixona-se pela Deusa e juntos fazem Amor pelos campos - A Sagrada União que tudo fecunda. O Caldeirão deverá estar cheio d'água em Beltane com flores boiando dentro, também deve-se erguer um pau, tronco ou bambu e amarrar em sua extremidade mais alta fitas de várias cores. Cada membro do coven deve pegar uma ponta da fita e todos devem girar enrolando-a. O bambu representa o fallus do Deus - seu órgão genital.

Litha ou Solstício de Verão - Agora toda a Terra encontra-se banhada pela Fertilidade da Deusa e do Deus, este esta no auge de sua força fazendo com que os dias sejam maiores do que as noites. Devemos nos lembrar porém que se aproxima o momento dele começar a definhar, em seu altar coloque ervas solares e girassóis para representar a potência do Deus.

Lammas ou Lughnasadh - É o período da colheita quando a Natureza mostra seus frutos, o Deus gradativamente enfraquece e a Deusa observa a queda de seu amante, sabendo que dentro dela ele vive como semente. Aos poucos as noites começam a ficar mais longas devido ao enfraquecimento do Sol. No altar devemos depositar ramos de trigo e espigas de milho, na noite de Lammas devem ser servidos pães e bolos, é tempo de colher o resultado de nossas ações e de agradecer por dádivas alcançadas.

Mabon ou Equinócio de Outono - A colheita iniciada em Lammas agora atinge seu ponto máximo, os dias e as noites são de igual duração e o Deus prepara-se para partir para a Terra de Verão onde irá descansar e recobrar suas forças. Esse falecimento pode ser visto também na Natureza que prepara-se para a chegada do Inverno. Nesse período o altar deve conter folhas de plantas da estação e alguns frutos. O Deus agora é louvado em seu aspecto de semente e a Grande Mãe em seu aspecto de Provedora.

Samhain - Este dia marca a ida do Deus ao Reino dos Mortos, é o ponto de maior auge na Roda do Ano e é considerado o Ano Novo Pagão, nessa data a barreira entre os mundos se torna mais tênue, facilitando assim o contato com entes queridos que já se foram. Métodos adivinhatórios devem ser praticados nessa noite e o altar deve conter folhas de ciprestes, abóboras, velas pretas e laranjas. Em Samhain é tempo de reflexão: de olharmos para nossos atos e compreendermos o significado de nossas experiências. Apesar de ser a noite da partida do Deus não deve ser encarado com tristeza pois ele ainda vive dentro da Deusa como seu filho : É a esperança, a promessa de Luz que se concretizará em Yule.

Alguns bruxos comemoram a Roda do Ano pelo Hemisfério Norte, eu já comemoro pelo Hemisfério Sul pois a Roda marca os ciclos da Natureza, assim irei colocar os Sabaths das duas datas.

Data Hemisfério Sul Hemisfério Norte
02 - Fevereiro Lammas Candlemas
21 - Março Mabon Equinócio da Primavera
01 - Maio Samhain Beltane
21 - Junho Yule Litha
01 - Agosto Candlemas Lammas
22 - Setembro Equinócio da Primavera Mabon
31 - Outubro Beltane Samhain
21 - Dezembro Litha Yule

Quando Terminar o Sabath

Sempre coma os alimentos que foram consagrados e se possível divida-os entre os familiares e pessoas queridas.

Tudo aquilo que for consagrado como velas, ramos de trigos, fitas e outras coisas que não forem utilizadas, devem ser distribuídas às pessoas que você goste.

A libação sempre deverá ser feita ao término da realização do Sabath. Os resíduos de velas, incensos assim como água e vinho que sobrarem devem ser depositados em um canteiro com plantas ou flores.

Sempre trace o círculo no início dos rituais e desfaça-o ao término dos mesmos.