Make your own free website on Tripod.com

Ritos & Rituais

Wiccaning o Ritual de Batismo

Ritual de bruxaria correspondente ao batismo cristão

"Os cristãos, quando batizam seus filhos, o fazem em geral com a intenção de compromissá-los com o cristianismo, de preferência perpetuamente - e ao próprio ramo particular de cristianismo dos pais. Espera-se via de regra que os filhos endossarão tal compromisso, ratificando-o quando tiverem idade suficiente para aquiescer conscientemente (embora sem maturidade para discernir). Para sermos justos, esses pais - quando não estão meramente acatando uma convenção social - amiúde assim agem porque sinceramente acreditam que isso é essencial para a segurança das almas de seus filhos. Foram ensinados a crer nisso e freqüentemente mediante o medo.

Essa crença segundo a qual existe apenas um tipo de ingresso para o céu e que um bebê precisa recebê-lo com toda a rapidez para sua própria segurança é, evidentemente, estranha a Wicca. A crença de bruxas e bruxos na reencarnação a nega em todos os casos. Mas, independentemente disto, feiticeiras e feiticeiros sustentam o ponto de vista que era virtualmente universal antes da era do monoteísmo patriarcal, a saber, que todas as religiões são diferentes sendas de expressão das mesmas verdades e que a validade delas para qualquer indivíduo depende da natureza e das necessidades deste.

Uma cerimônia Wiccaning para a criança de uma família de bruxos não compromete, portanto, a criança com nenhuma senda em particular, mesmo uma pertencente a Wicca. É similar a um batizado no sentido em que invoca a proteção divina para a criança e ritualmente afirma o amor e o cuidado com os quais a família e os amigos desejam cercar o recém-chegado. Difere de um batizado no fato de especificamente reconhecer que, à medida que a criança se transforma num adulto, decidirá, e realmente terá que decidir, sobre sua própria senda.

Wicca é, acima de tudo, uma RELIGIÃO NATURAL - de modo que pais-bruxos tentarão naturalmente comunicar a seus filhos a alegria e realização que sua religião lhes proporciona, a família toda partilhando inevitavelmente do modo de vida vinculado a essa religião. Partilhar é uma coisa, impor ou ditar é outra, e longe de assegurar a "salvação" de uma criança, pode muito bem retardá-la - isto se, tal como as feiticeiras, você encarar a salvação não como uma espécie de transação instantânea, mas como um desenvolvimento ao longo de muitas existências.

Compomos nosso ritual de Wiccaning dentro desse espírito e achamos que a maioria das bruxas e bruxos concordarão com tal postura.

Sabíamos que a idéia de Ter padrinhos - amigos adultos que manterão um interesse pessoal no desenvolvimento da criança - era uma idéia justificadamente popular e sentimos que uma cerimônia de Wiccaning deveria adotá-la também. A princípio chamamos esses amigos adultos de "Patrocinadores", a fim de evitar uma confusão com respeito à prática cristã. Mas reconsiderando o assunto posteriormente, percebemos que "patrocinador era uma palavra fria e que não havia motivo algum para que "padrinho" e "madrinha" (desde que god abarcasse goddess/ Padrinho em inglês é GODfather e madrinha GODmother) não servissem a bruxas e bruxos tanto como servem os cristãos. Afinal de contas, consideradas as diferenças de crença (e Deus sabe quanto os cristãos diferem entre si), inclusive a diferença de postura que já mencionamos, a função é a mesma.

Os padrinhos não têm de ser eles mesmos necessariamente bruxos, o que cabe aos pais decidir. Mas precisam, ao menos, simpatizar com a intenção do ritual e tê-lo lido integralmente de antemão, para assegurar que possam fazer as necessárias promessas com toda sinceridade (o mesmo se aplica, afinal, a bruxos e bruxas convidados por amigos cristãos para serem padrinhos num batismo cristão).

Se a Grã Sacerdotisa e/ou o Grão Sacerdote se prestam eles próprios a serem padrinhos, farão as promessas um ao outro nos momentos apropriados, durante o ritual.

Preparação

Se os membros do coven normalmente atuarem despidos, a decisão se assim participarão do ritual ou se farão vestidos caberá aos pais da criança. Num caso ou noutro, a Grã Sacerdotisa usará símbolos da Lua, e o Grã Sacerdote símbolos do Sol.

O círculo é marcado com flores e folhas verdes e o caldeirão colocado no centro, preenchido com as mesmas flores e folhas e talvez também de frutos. Coloca-se à disposição, no altar, óleo de consagração. Somente incenso leve deve ser usado - preferivelmente sob forma de bastão. Os presentes para a criança são postos ao lado do altar, bem como o alimento e as bebidas para uma pequena festa no círculo, depois do ritual.

Os pais devem escolher antecipadamente um "nome oculto" para a criança (isto é, em grade parte, para o próprio benefício da criança; crescendo numa família de bruxos, ele ou ela quase certamente apreciará ter um nome de bruxo ou bruxa particular tal como têm mamãe e papai - e se não for o caso, poderá ser discretamente esquecido até que e a menos que seu detentor queira usá-lo novamente).

O Ritual para uma Menina

( O Ritual para Menino se encontra no final do Texto )

O Ritual de Abertura é realizado normalmente até o fim da invocação do "Grande Deus Cernunnos", exceto pelo fato de que todos, inclusive os pais e a criança, se colocam no círculo antes do traçado, sentamos num semicírculo próximos do caldeirão e olhando para o altar - cedendo lugar à Grã Sacerdotisa, para que esta trace o círculo em torno deles. Somente a Grã Sacerdotisa e o Grão Sacerdote ficam em pé para conduzir o Ritual de Abertura.

Para reduzir movimento excessivo, que poderia amedrontar a criança, a Grã Sacerdotisa traça o círculo com seu athame, e não com a espada, e ninguém se move com ela, ou imita seus gestos quando ela invoca os Senhores das Atalaias. Ela e o Grão Sacerdote carregam os elementos em torno.

Após a invocação do Grande Cernunnos, a Grã Sacerdotisa e o Grão Sacerdote consagram o vinho. Não o experimental, mas colocam o cálice no altar.

O Grão Sacerdote, em seguida, posta-se diante do altar, encarando o caldeirão. A Grã Sacerdotisa fica pronta para entregar-lhe o óleo, o vinho e a água.

O Grão Sacerdote diz:

"Estamos reunidos neste círculo para pedir a benção do poderoso Deus e da gentil Deusa para .....( Nome da criança ), a filha de .................. e .................., de modo que ela possa crescer em beleza e força, em alegria e sabedoria. Há muitas sendas, e cada um tem que encontrar a sua, e portanto não buscamos ligar ..........( Nome da criança ) à nenhuma senda, enquanto ela é ainda demasiadamente jovem para escolher.

Preferimos pedir ao Deus e a Deusa, que conhecem todas as sendas e aos quais todas as sendas conduzem, para abençoa-la, protege-la e prepará-la ao logo dos anos de sua infância, de sorte que, quando finalmente for verdadeiramente adulta, saiba ela sem alimentar dúvidas ou medo qual sua senda e passe a trilha-la com contentamento.

....................., Mãe de ............( Nome da criança ), adianta-se com ela para que possa ser abençoada.

O pai ajuda a mãe a se levantar e ambos levam a criança ao Grão Sacerdote, que a toma em seus braços. Ele pergunta:

....................., Mãe de ............( Nome da criança ), possui esta tua criança também um nome oculto ?

A mãe responde: Seu nome oculto é .....................

O Grão Sacerdote, então, unta a criança na testa com óleo, fazendo a marca de um pentagrama e dizendo:

Eu unto a ti, ............( dizer o nome comum ), com óleo e te dou o nome oculto de .......................

Ele repete a ação com o vinho, dizendo:

Eu unto a ti, .............( dizer o nome oculto ), com vinho em nome do poderoso Deus Cernunnos. ( Lê-se Kernunnos )

Repete a ação com a água dizendo:

Eu unto a ti, ..............( dizer o nome oculto ), com água em nome da gentil Deusa Aradia.

O Grão Sacerdote devolve a criança à sua mãe e, então conduz os pais e a criança a cada uma das atalaias, dizendo:

Vós senhores das atalaias Leste - Sul - Oeste - Norte , com efeito apresentamos a vós .....................( nome comum ) , cujo nome oculto é ........................ ( dizer o nome oculto ) e que foi devidamente ungida dentro do círculo de Wicca. Escutai, portanto que ela se acha sob a proteção de Cernunnos e Aradia .

O Grão Sacerdote e a Grã Sacerdotisa tomam seus lugares voltados para o altar, com os pais e a criança entre eles. Erguem seus braços e invocam cada um por sua vez:

Grão Sacerdote:

Poderoso Cernunnos , concede a esta criança o dom da Força.

Grã Sacerdotisa:

Gentil Aradia , concede a esta criança o dom da Beleza.

Grão Sacerdote:

Poderoso Cernunnos, concede a esta criança o dom da Sabedoria.

Grã Sacerdotisa:

Gentil Aradia, concede a esta criança o dom do Amor.

O Grão Sacerdote, a Grã Sacerdotisa e os pais se voltam para encarar o centro do círculo, e o Grão Sacerdote então pergunta:

Há duas pessoas no círculo que se apresentariam como Padrinhos de ......................? ( dizer o nome oculto )

( OBS.: Se o sacerdote e a sacerdotisa estão se apresentando como padrinhos, ele perguntará, em lugar disso : )

Há alguém no círculo que se apresentará comigo, como Padrinhos de .................? e a Sacerdotisa responderá :

Eu me juntarei a vós.

Em seguida eles olharão um para o outro e trocarão as perguntas e promessas.

Os padrinhos deverão se adiantar e ficar de pé, a madrinha encarando o Sacerdote e o padrinho encarando a Sacerdotisa.

O Sacerdote pergunta para a madrinha:

Tu, ............... prometes ser uma amiga de ................... ( dizer o nome oculto ) ao longo de sua infância, no sentido de ajuda-la, de guiá-la da maneira que ela necessitar, e de acordo com seus pais por ela zelar e amá-la como se fosse de teu próprio sangue até que pela graça de Cernunnos e Aradia ela esteja pronta para escolher sua própria senda ?

A madrinha responde:

Eu,..............assim prometo.

A Grã Sacerdotisa pergunta ao padrinho:

Tu, ............... prometes ser um amigo de ................... ao longo de sua infância, no sentido de ajuda-la e guia-la da maneira que ela necessitar, e de acordo com seus pais por ela zelar e amá-la como se fosse de teu próprio sangue até que pela graça de Cernunnos e Aradia ela esteja pronta para escolher sua própria senda ?

O padrinho responde:

Eu, ............. assim prometo . O Grão Sacerdote diz:

O Deus e a Deusa a abençoaram, os senhores das atalaias a reconheceram, nós seus amigos lhe demos as Boas Vindas, portanto o círculo das Estrelas brilha em paz sobre ............... cujo nome oculto é .................. que assim seja.

Todos dizem:

Que assim seja !

O Grão Sacerdote diz:

Que todos se sentem dentro do círculo.

Todos se sentam, exceto o sacerdote e a sacerdotisa, que experimentam e passam por todos o vinho já consagrado da maneira usual e então consagram e passam a todos os bolos da maneira usual.

A seguir, buscam os presentes, o alimento e as bebidas da festa e se sentam com os outros, daqui em diante passando-se para o informal.



O Ritual para um Menino

 

A diferença básica caso a criança seja um menino é que o Grão Sacerdote e a Grã Sacerdotisa trocam suas funções. Ela realiza o enunciado de abertura e executa a unção, o Grão Sacerdote lhe entrega o óleo, o vinho e a água. Ela representa a criança às atalaias.

A invocação a Deusa e ao Deus por seus dons de força, beleza, sabedoria e amor, entretanto, é feita exatamente como a feita para a menina, e na mesma ordem.

A Grã Sacerdotisa convoca os padrinhos para que se apresentem e toma a promessa do padrinho; o Sacerdote toma então a promessa da madrinha.

A Grã Sacerdotisa pronuncia a bênção final.

 

HandFasting : O Casamento Wiccaniano

A cerimônia de casamento apresentada a seguir é um rito de comprometimento de ligação espiritual. Antes da cerimônia é importante que toda a área onde será realizado o compromisso seja consagrada com sal, água, e qualquer incenso purificador, como o de cedro, líbano, sálvia ou sândalo

Monte o altar e coloque nele tudo que será necessário para a cerimônia:

Duas velas brancas

Um incensório

Um prato com sal e terra

Um sino de latão

Uma vareta

Um punhal ou espada cerimonial

Um cálice com água

Uma xícara com óleo de rosa para consagração

Um cristal de quartzo As alianças de casamento

Duas cordas brancas

Uma vassoura de palha

Vinho

Bolo de Compromisso

Supondo que você é uma Alta Sacerdotisa (ou Sacerdote), trace um círculo na sentido horário usando um punhal ou uma espada cerimonial, e após cada convidado ter sido abençoado com saudações e incenso, faça soar o sino do altar para dar início à cerimônia.

O noivo e a noiva devem entrar de mãos dadas no círculo que você confeccionou. Abençoe-os novamente com incenso e saudações e coloque-os de frente para você e o altar (norte), enquanto os convidados para o casamento estarão reunidos em torno do perímetro do círculo, dando-se as mãos para formar uma corrente humana.

De frente para o noivo e para a noiva, levante as suas mãos para o céu e diga:

Neste Sagrado Círculo de luz reunimo-nos em perfeito Amor e perfeita Verdade.

Oh Deusa do amor divino, eu te peço que abençoes este casal, o seu amor e seu casamento pelo tempo em que viverem juntos no amor.

Possa cada um desfrutar de uma vida saudável, cheia de alegria, amor, estabilidade e fertilidade. Segure o prato com sal ou terra diante deles para que os dois coloquem a mão direita sobre o mesmo, enquanto você diz:

Abençoados sejam pelo antigo e místico elemento Terra.

Que a Deusa do amor em toda sua glória abençoe-os com amor, ternura, felicidade e compaixão pelo tempo em que viverem ambos.

Coloque novamente o prato sobre o altar. O casal deverá se voltar para o leste. Soe o sino do altar três vezes e então envolva-os com o incenso e diga:

Abençoados sejam pela fumaça e pelo sino, símbolos do antigo e místico elemento Ar. Coloque novamente o incenso no altar. O casal deverá agora se voltar para o sul. Dê a cada um uma vela branca, a qual deverão segurar com a mão direita. Acenda as velas, pegue a vareta do altar e segure-a acima dos dois enquanto diz:

Abençoados sejam pela vareta e pela chama, símbolos do antigo e místico elemento Fogo .

Que a Deusa do amor em toda sua glória abençoe-os com harmonia, vitalidade, criatividade e paixão pelo tempo que viverem juntos.

Coloque novamente as velas e a vareta no altar. O casal deverá se voltar para o oeste. Tome o cálice com água e salpique algumas gotas sobre a cabeça deles, enquanto diz:

Abençoados sejam pelo antigo e místico elemento Água. Que a Deusa do amor em toda a sua glória abençoe-os com a amizade, a intuição, o carinho e a compreensão pelo tempo em que viverem ambos.

Coloque o cálice com água novamente no altar. Unte a testa deles com o óleo de rosa e segure o cristal de quartzo sobre eles, como símbolo sagrado do reino espiritual, enquanto diz:

Que a Deusa do amor em toda a sua glória abençoe-os com a união, honestidade e crescimento espiritual pelo tempo que viverem ambos, e que a magia do seu amor continue a crescer pelo tempo que permanecerem juntos no amor, pois o seu casamento é uma união sagrada dos aspectos feminino e masculino da divindade.

Coloque o cristal novamente no altar e consagre as alianças do casamento com uma pitada de sal e gotas de água, enquanto diz:

Pelo sal e pela água eu purifico e limpo estes belos símbolos do amor. Que todas as vibrações negativas, impurezas e obstáculos sejam afastados daqui ! E que penetre tudo o que é positivo, terno e bom.

Abençoadas sejam estas alianças no nome divino da Deusa. Assim Seja !

O noivo coloca a aliança no dedo da noiva, e ela por sua vez coloca a aliança no dedo dele. Agora podem trocar as promessas que escreveram com suas próprias palavras antes da cerimônia.

Após o casal haver proferido suas promessas de amor, consagre as cordas brancas da mesma maneira que fez com as alianças e então segurando-as lado a lado, faça com que o homem e a mulher segurem uma extremidade e dêem um nó enquanto expressam seu amor um pelo outro. Amarre-as pelo meio e diga:

Pelos nós dados nesta corda seja o seu amor unido.

Pegue a corda com os nós e amarre juntas às mãos do noivo e da noiva. Visualize uma luz branca de energia da Deusa e de proteção circundando o casal, enquanto suas auras se unem em uma só e todos os presentes à cerimônia emitem energia, cantando repetidamente com alegria

AMOR! AMOR! AMOR!

Após haver centralizado o poder trazido para os noivos e para o casamento deles, permaneça alguns minutos em silêncio e depois retire a corda das mãos deles, dizendo:

Pelo poder da Deusa e de seu consorte eu os declaro Marido e Mulher pelo tempo que viverem ambos, que vivam juntos no amor. Que assim seja.

Os convidados agora podem aclamar, aplaudir e congratular-se com os recém-casados. Agradeça à Deusa e ao Deus e desfaça o círculo. Coloque a vassoura de palha horizontalmente no chão e faça com que os noivos pulem por cima dela juntos e de mãos dadas.

Termina assim o ritual pagão de compromisso, que deve ser festejado por todos com vinho consagrado e bolo de compromisso, que é tradicionalmente partido com a espada cerimonial do coven.

 

Requeiem - O Ritual de Morte Wiccaniano

Preparação

A decoração do círculo e do altar para um Requiem será, neste caso, uma questão de gosto pessoal, dependendo das circunstâncias, da época do ano e do caráter do amigo que está sendo lembrado, bem como das associações com ele feitas.

Deposita-se ao lado do altar uma pequena tigela de louça (um caneco ou xícara com asa é o mais adequado) com um cordel prateado a ela atado; é preciso dispor também de um martelo para quebrar o pequeno recipiente e um pano para embrulhá-lo.

Para a Lenda da Descida da Deusa deve-se deixar à disposição, próximos do altar, jóias e um véu, bem como uma coroa para o Senhor do Mundo Subterrâneo. Também à disposição sobre o altar deve haver um colar.

O Ritual

O Ritual de abertura deve ser realizado como sempre até o fim da invocação do Deus Cernunnos. A Grã Sacerdotisa e o Sacerdote, em seguida, encaram os membros do coven de diante do altar.

A sacerdotisa diz:

Nós nos reunimos hoje em meio a tristeza e alegria, estamos tristes porque um capítulo se encerrou e, no entanto estamos jubiolosos porque, com o encerramento um novo capítulo pode começar .

Nós nos reunimos para marcar o casamento de nosso(a) amado(a) irmão(ã) ..................... para quem esta encarnação findou. Estamos reunidos para confiá-la ao zelo da benção do Deus e da Deusa, para que ele(a) possa repousar, isento(a) de ilusão ou tristeza até que advenha o tempo de seu renascimento neste mundo. E sabendo que isso será , sabemos também que a tristeza não é nada e o jubilo é tudo.

O Sacerdote permanece em seu lugar e a Sacerdotisa conduz o coven numa dança em espiral, lentamente fechando o círculo num sentido anti-horário, mas não o fechando de maneira demasiada.

O Sacerdote diz:

Nós te convocamos , Mãe sombria e estéril, tu para que toda a vida manifesta cumpre retornar advindo seu tempo, mãe sombria da tranqüilidade e do repouso, ante quem os homens tremem porque falta-lhes a compreensão de ti. Nós te convocamos , que é também Hécate da Lua Minguante, senhora sombria da sabedoria, que os homens temem por que tua sabedoria se eleva acima deles. Nós, os filhos ocultos da Deusa, sabemos que nada há a temer em teu abraço, do qual ninguém escada, que quando entrarmos em tua escuridão, como devem todos, será como entrar novamente na luz. Assim, com amor e sem temor, confiamos a ti ...................... nosso(a) irmão(ã). Toma-o(a), proteja-o(a), norteio(a), admita-o(a) à paz de Summerland, que se encontram entre a vida e a vida, e sabe , como sabes todas as coisas, que nosso amor com ela vai.

O sacerdote apanha a tigela, o cordel, o martelo e o pano. A dança cessa e os membros se afastam a fim de admitir a Sacerdote ao centro da espiral, onde ele deposita o pano sobre o chão e a tigela sobre o pano. Em seguida, a extremidade livre do cordel à Donzela.

A sacerdotisa diz:

Solte-se o cordel prateado, ou se quebre a tigela dourada, ou se quebre o cântaro na fonte, ou se quebre na cisterna e então o pó retornará à terra como era, e o espírito retornará à Deusa que o concedeu.

O sacerdote desata o cordel prateado e a Donzela o colhe. O Sacerdote embrulha então a tigela com o pano e a quebra com o martelo. A seguir recoloca o pano dobrado com os fragmentos da tigela e o martelo ao lado do altar. O Coven retorna, fechando novamente o círculo.

A Donzela carrega o cordel prateado e durante a invocação que se segue, movendo-se em sentido horário em torno do círculo, o oferece primeiramente aos senhores das Atalaias do Oeste (Senhores da Morte e da Iniciação), depois aos Senhores das Atalaias do Leste (senhores do Renascimento). Em seguida, ela deposita o cordel no chão diante da vela do leste e se reúne ao Sacerdote, junto ao altar (movendo-se sempre em sentido horário). Enquanto isso, a Sacerdotisa dirige-se novamente a dança, repetindo o movimento de volta em sentido horário, a fim de desfazer a espiral até que se torne mais uma vez um círculo completo, continuando a se mover em sentido horário.

Logo depois de recolocar o pano e o martelo ao lado do altar, o Sacerdote encara o coven e diz:

Nós te convocamos, Aima Mãe luminosa e fértil, tu és o útero do renascimento de quem toda vida manifesta procece, e em cujo seio que jorra todos são nutridos. Nós te convocamos, que é também Perséfone da Lua Crescente, Senhora da Primavera e de todas as coisas novas. A ti confiamos ..........................., nosso(a) irmão(a), toma-o(a), protege-o(a), norteia-o(a), o(a) conduz na plenitude do tempo a um novo nascimento e uma nova vida, e concede que , nessa nova vida ele(a) possa ser amado(a) novamente, como nós seus irmãos e irmãs o(a) amamos.

O Sacerdote e a Donzela juntam-se novamente ao coven, que desenvolve um movimento circular e a sacerdotisa inicia a Runa das feiticeiras, os demais se unindo a ela. Finda a runa, a Sacerdotisa ordena:

Ao Chão!

Os membros se sentam, formando um círculo olhando para o interior deste. A Sacerdotisa atribui papéis para a Lenda da Descida da Deusa ao Mundo Subterrâneo: o Narrador, A Deusa, O senhor do Mundo Subterrâneo, e o Guardião dos Portais.

A Deusa é adornada com jóias, coberta com véu e fica na borda do círculo ao sudeste. O senhor do Mundo Subterrâneo coloca sua coroa, toma a espada e permanece com suas costas para o altar. O Guardião dos Portais toma seu athame e o cordel vermelho e fica de pé encarando a Deusa.

A Lenda da Descida da Deusa ao Mundo Subterrâneo

Narrador:

Nos tempos antigos, nosso senhor o cornudo era ( e ainda é ) o consolador, o confortador, mas os homens o conheciam como o terrível senhor das sombras, solitário, inflexível e justo. Mas nossa senhora, a Deusa resolveria todos os mistérios, até mesmo o mistério da morte, e assim ela viajou ao mundo subterrâneo. O guardião dos portais a desafiou...

O Guardião dos portais desafia a Deusa com seu Athame.

Tira tuas vestes, põe de lado tuas jóias pois nada tu podes trazer contigo ao interior desta nossa terra.

A Deusa retira seu véu e as jóias. Nada deve permanecer sobre seu corpo (se o Requiem é realizado com os participantes vestidos, somente o manto simples dela deve permanecer sobre seu corpo). O Guardião então a prende com o cordel vermelho à maneira da iniciação de primeiro grau, com o centro do cordel em torno da frente do pescoço dela e as extremidades passando por seus ombros e indo atar seus pulsos por trás de sua cintura.

Narrador :

Assim ela se despojou de suas vestes e de suas jóias e foi amarrada como todos os vivos que buscam ingressar nos domínios da Morte , a Poderosa, tem que ser.

O Guardião dos portais conduz a Deusa perante o Senhor do Mundo Subterrâneo e, depois, se afasta para um lado.

Narrador :

Tal era a beleza que a própria morte se ajoelhou e depositou sua espada e coroa aos seus pés.

O Senhor do Mundo Subterrâneo se ajoelha ante a Deusa, deposita sua espada e sua coroa no chão a cada lado dela, e em seguida beija os pés direito e esquerdo dela.

Narrador :

...E beijou seus pés, dizendo :

Abençoados seja teus pés que te trouxeram por estes caminhos. Permanece comigo, mas deixa que ponha minhas mãos frias sobre teu coração.

O senho do Mundo Subterrâneo ergue suas mãos, com as palmas para a frente e as retém a algumas polegadas do coração da Deusa.

E ela responde :

Eu não te amo, por que fazes todas as coisas que amo e nas quais me comprazo fenecerem e morrerem?

O senhor do mundo subterrâneo estende seus braços para baixo, com as palmas das mãos para a frente.

Senhora... - Respondeu a Morte - Trata-se da idade e da fatalidade, contra os quais soi impotente. A idade, o envelhecimento leva todas as coisas a definharem, mas, quando os homens morrem ao desfecho de seu tempo, concedo-lhes repouso, paz e força pra que possam retornar, mas tu, tu és linda, não retornes, permaneça comigo.

Mas ela responde :

Eu não te amo!

O senhor do Mundo subterrâneo se levanta, vai até o altar e pega o açoite. Volta-se para encarar a deusa.

E então disse a Morte : Se não recebes minhas mãos sobre teu coração, tens que te curvar ao açoite da morte.É a fatalidade.

Melhor assim ... Ela Disse e se Ajoelhou. E a morte a açoitou brandamente.

A deusa se ajoelha encarando o altar. O senhor do mundo subterrâneo aplica-lhe de maneira muito branda três, sete, nove, vinte e um golpes do açoite.

E ela bradou : Eu conheço as aflições do amor.

O Senhor do Mundo Subterrâneo recoloca o açoite no altar, ajuda a deusa a levantar-se e se ajoelha, encarando-a.

E a morte ergueu e disse : Sejas abençoadas, e lhe dou o beijo quíntuplo, dizendo :

Assim apenas podes atingir a alegria e o conhecimento.

O Senhor do Mundo subterrâneo dá na Deusa o beijo quíntuplo. Em seguida, desamarra os pulsos dela, depositando o cordel no chão.

E ele a ela ensina todos os seus mistérios e lhe dá o colar que é o círculo do renascimento.

O senhor do Mundo Subterrâneo pega o colar no altar e o coloca em torno do pescoço da deusa. A Deusa então, toma a coroa e a recoloca na cabeça do senhor do Mundo Subterrâneo.

E ela ensina a ele o mistério da taça sagrada, que é o caldeirão do renascimento.

O Senhor do Mundo Subterrâneo move-se diante do altar, no extremo leste deste, e a Deusa move-se diante do altar, no extremo oeste deste. A Deusa toma o cálice em ambas as mãos, eles se entreolham e ele coloca ambas as mãos das dela.

Eles amaram e se tornaram um, pois há 3 grandes mistérios na vida do homem e a magia os controla a todos. Para realizar o amor, tendes que retornar novamente ao mesmo tempo e no mesmo lugar daqueles que são os amados, e tendes que encontrá-los, conhece-los, lembra-los e ama-la de novo.

O Senhor do Mundo Subterrâneo solta as mãos da Deusa e esta recoloca o cálice no altar. Ele toma o açoite em sua mão esquerda e a espada em sua mão direita e fica na posição do Deus, antebraço cruzados sobre o peito, espada e açoite apontados para cima, com suas costas para o altar. Ela fica ao lado dele na posição de Deusa, pernas escarranchadas e braços estendidos formando o pentagrama.

Narrador :

Mas para renascer, tende que morrer e ser preparado para um novo corpo, e para morrer tendes que nascer e sem amor não podes nascer. E nossa Deusa sempre se inclina para o amor, o júbilo e a ventura, e ela protege e acaricia suas crianças ocultas na vida, e na morte ministra o caminho da comunhão com ela, e mesmo neste mundo ela lhes ensina o mistério do círculo mágico, que é disposto entre os mundos dos homens e dos Deuses.

O senhor do mundo subterrâneo recoloca o açoite, a espada e a coroa sobre o altar junto deste. Isto completa a Lenda e os atores se juntam de novo aos demais membros.

A Grã Sacerdotisa diz:

Que participemos agora, como a Deusa nos ensinou, da fesat de amor do vinho dos bolos,e a medida que o fazemos que nos lembremos de nosso(a) irmão(ã)..................., com a qual nós tão amiúde compartilhamos tal festa, e mediante esta comunhão, nós colocamos amorosamente nosso irmão(ã) nas mãos da Deusa.

Todos Dizem:

Que assim seja !

O vinho e os bolos são consagrados e passados por todos.

O mais cedo possível, após o Requiem, os fragmentos da tigela deverão ser ritualmente arremessados num rio, com a tradicional ordem:

RETORNA AO MUNDO QUE VIESTE.

 

RITUAL DO ANIMAL GUARDIÃO

Deite-se num lugar tranqüilo, faça uma contagem de 7 a 1, procurando relaxar todo o corpo. Imagine-se entrando numa caverna escura, onde encontrará vários animais. Pergunte à cada um deles, se é o seu Animal Guardião. Se o Animal ficar em silêncio e ir embora, a resposta é negativa. O Animal que lhe responder será o seu Guardião, por toda a vida. Não revele à ninguém o seu Guardião!

RITUAL DA LUA - Puxar a Lua para baixo

Esse Ritual deve ser feito antes de um Sabá ou Feitiço.

Sente-se com a coluna ereta, imagine que uma Grande Lua Cheia está sobre a sua cabeça e invade todo o seu corpo. Mantenha essa visualização de olhos fechados por alguns minutos. Depois, se estiver num espaço aberto, olhe para a Lua, se estiver em um espaço fechado, abra os olhos e relaxe por alguns instantes.

Esse Ritual é feito somente por mulheres. Para o homem, é mais comum imaginar ou fazer incidir o reflexo da Luz no espelho, para depois imaginar que essa Luz entra pelo Chackra Frontal - (espaço entre as sobrancelhas)

A PIRITA ATRAI DINHEIRO

A pirita ou "ouro dos trouxas", um mineral muito bonito de se ver, com estrutura geométrica cúbica e a cor brilhante do ouro. Embora de escasso valor monetário, possui uma incrível capacidade de atrair dinheiro. Compre uma pirita e mantenha-a por três dias em um copo com sal: dessa forma, as eventuais negatividades serão expulsas.

No terceiro dia, numa hora diurna, pegue a pirita e segure-a por alguns minutos, sem pensar em nada específico, porém considerando-a parte de sua aura. Você sentir a pirita esquentar e vibrar: nesse ponto, diga as seguintes palavras dirigidas ao DEVA (espírito) do mineral: "Obrigado, Deva da pirita, por teres acolhido ao meu espírito e por ter me doado o teu. Eu, (fale seu nome), peço-te que satisfaça este meu desejo (faça o seu pedido com clareza). Confio a ti e a tua energia, o meu desejo. Obrigado, obrigado, obrigado". Embaixo da pirita (que não deve ser fechada numa gaveta) coloque uma cédula de dinheiro de qualquer valor. Os resultados surgirão rapidamente. Quando perceber que não tem mais necessidade da pirita, agradeça a ela por tudo o que fez por você e dê de presente a alguém que possa usufruir seu poder.

RITUAL DE AMOR - Trevo de Quatro Folhas

No Antigo Egito, o trevo de quatro folhas era considerado símbolo de Ísis, a Grande Deusa, e utilizado nos Rituais de Iniciação e em Rituais para o Amor e para a Sorte. Se você encontrar um trevo de quatro folhas e quiser fazer um talismã para o amor, proceda da seguinte forma: Apanhe-o, agradecendo aos espíritos por tê-lo feito achar, e não o mostre a ninguém. Escreva com tinta vermelha numa folha de papel branco, seu desejo de amor, quer se trate de encontrar o amor ou se refira a uma pessoa em especial. Seja conciso e preciso no pedido. Embrulhe o trevo com o papel e coloque-o dentro de um envelope verde. Esconda-o em um lugar secreto e todas as noites, antes de se deitar, segure com as mãos a folha de papel que contém o trevo, concentrando-se no seu desejo. Antes de recolocá-lo no envelope, diga estas palavras: Ísis, Grande Deusa, eu, (seu nome), agradeço-te o presente que me deste e rogo-te para que satisfaças o meu grande desejo de amor. Guardarei este teu símbolo, mesmo quando tiver conseguido aquilo que desejo, em nome do amor que tenho por ti. Obrigado, Minha Senhora". Satisfeito o desejo, retire o trevo da folha de papel e coloque-o novamente no envelope.

MASSAGEM PURIFICADORAE ENERGIZANTE COM AS PLANTAS

As plantas são poderosíssimos centros de energia, e até um simples passeio ao bosque ou a uma floresta traz bem-estar. Contudo a massagem e a touch therapy (terapia do toque) feitas com determinadas plantas podem apressar processos de cura e de purificação.

Abrace um eucalipto e apoie a testa no tronco, se tiver necessidade de refrescar e acalmar as vias respiratórias.

Deite-se e apoie as plantas dos pés em um carvalho adulto, mas não velhíssimo, se quiser entrar em contato com as forças da Natureza e readquirir energias perdidas ou agredidas pelo estresse.

Massageie o rosto com folhas de feto, de deseja readquirir o bom humor.

Abrace um cipreste, para recuperar-se de uma grande perda, de uma desilusão, ou se os problemas do dia-a-dia o fizerem perder a serenidade.

Sente-se embaixo de um limoeiro, se sentir ameaçado pelas forças negativas.

Acaricie seu corpo com uma flor de hibisco, antes de se vestir para um encontro amoroso.

Faça uma massagem, suave e lentamente, com um coco, que levará embora energias negativas e reativará suas barreiras energéticas.

De manhã cedo, caminhe com os pés descalços em um gramado úmido de orvalho, se quiser reativar a circulação e eliminar resíduos negativos.

Passe pétalas de rosas nas têmporas e na testa, se estiver com uma forte dor de cabeça.

A touch terapy é aconselhável que seja feita com a planta viva, não poluída, na primavera e no verão, quando a Natureza está no máximo de sua potência.

O COBRE, METAL DE CURA E PROPICIADOR DE AMOR

Desde os tempos antigos, este metal é considerado um talismã da saúde e do amor, seu campo energético cura os pequenos achaques do homem, estimula o bom humor e o relacionamento com os outros. Use-o na forma de anel e, quando quiser purificá-lo, exponha-o aos raios de Vênus, ao entardecer.

BANHO AFRODISÍACO

Antes de um encontro amoroso ou sexual, ou também para atrair uma pessoa, podemos tomar o seguinte banho, carregando-nos com uma forte aura sedutora:

Coloque em um balde ou bacia água quente (sem estar fervida) e coloque as seguintes essências; dez gotas de ylang-ylang*, dez gotas de sândalo*, dez gotas de essências de rosas*, dez gotas de almíscar* e um punhado de cravo. Depois de tomado o seu banho normal, pegue o balde e com a ajuda de uma caneca, vá molhando novamente o seu corpo com essa água. Comece pela cabeça e vá molhando todo o restante do corpo. Feito isso, seque-se naturalmente, sem auxílio da toalha. Quando já estiver seco, coloque mais algumas gotas de almíscar nas palmas das mãos e acaricie o seu corpo todo.

FEITIÇO DA RAIVA

Visualize um círculo de luz a sua volta. Segure uma pedra negra em suas mãos e eleve-a a sua frente. Concentre-se e projete toda a sua raiva na pedra. Jogue agora, a pedra com toda a sua força para fora do círculo, em um lago, mar, córrego, que você visualizou e diga:

  • COM ESSA PEDRA

  • A RAIVA SE IRÁ

  • ÁGUA CONTENHA-A

  • NINGUÉM A ACHARÁ

PODER INTERIOR

Use um quadrado de tecido carmesim, cheio de folhas de Louro, Flores de Sabugueiro, Rosamarinho, Folhas de Carvalho, Folhas de Azevinho ou Baga e Visgo. Amarre com um fio azul e borde ou desenhe seu próprio símbolo pessoal.

CAIXA DO SUCESSO

Para aumentar o seu poder diante das pessoas importantes envolvidas em assuntos profissionais de seu interesse, faça o seguinte talismã:

Encontre uma caixinha de madeira bem pequena, coloque dentro uma Folha de Louro e um Citrino, feche-a e despeje sobre ela três gotas de Lima. Está pronta a sua Caixa de Sucesso. Leve-a com você sempre que quiser um "auxílio extra", para assuntos de sorte e prosperidade.

PARA SATISFAZER UMA ALEGRIA

No escuro de uma noite de Lua Minguante, segure contra o peito um coração feito de metal ou de pedra. Recite bem devagar estas palavras: "Coração leve, Coração claro, o que estou pedindo me é muito caro, conceda-me esta alegria antes do raiar do dia".

RITUAL DA PROSPERIDADE. A

Faça um saquinho com um tecido verde. Na noite de Lua Cheia, prepare o Altar com o Caldeirão no meio, Incenso do lado Leste, uma vasilha com Mel e Leite do lado Oeste, uma Maçã do lado Norte e uma vela verde no lado Sul. Ponha Camomila ou Verbena dentro do Caldeirão. Implore aos Deuses, aos Elfos, aos Anões Antigos: "Seres vestidos de Seda e Peles, dou-lhes de presente o Mel e Leite, como agradecimento por me ajudar a encontrar Boa Sorte e Prosperidade". Guarde as ervas no saquinho verde, amarre e passe o saquinho pela fumaça do Incenso e diga: "Abençoa à todos os que vêm me ajudar, entre amigos fizemos uma troca". Tenha sempre o saquinho junto de si. Leve o Mel para fora de casa, deixe-o passar uma noite no sereno. No dia seguinte, despeje-o na Terra.

RITUAL DA PROSPERIDADE. B

À noite, na hora de dormir, coloque embaixo do travesseiro um bilhete com seu pedido e diga: "Querida Deusa da Terra, preciso de sua ajuda. Enquanto durmo sei que está trabalhando para atender meu pedido. Sei que quanto mais me dôo, mais recebo".

- Numa Quinta-feira, pegue uma vasilha cheia de moedas, um vaso de flores e acenda uma vela verde e pense na proteção e sorte, na expansão financeira que Júpiter pode lhe proporcionar. Olhando a chama da vela, diga para si mesmo: "Estou aberto e receptivo para toda a abundância que há no Universo". Sinta que tudo flui para você agora e sempre.

- Numa Quinta-feira, unte uma vela verde com óleo de Eucalipto, acenda-a e visualize-se sentado no alto de uma montanha. Faça o seu pedido, e veja-o realizado. Na sua próxima refeição use um pouco de pimenta vermelha seca e reforce seus pensamentos para que você esteja no alto, tendo obtido sucesso.

PARA A PROTEÇÃO

Faça um Altar para a sua família. Pegue uma Druza de Cristal. Projete em cada ponta do cristal a imagem das pessoas que você deseja proteger. Elas ficarão ali representadas. Cada vez que você lavar a Druza, reforce a programação, todas as Quintas-feiras, acenda um Incenso, permeie o cristal com sua fumaça, e deixe-o queimando ao lado.

PARA A INTUIÇÃO

Faça um chá de roseira, sente-se em uma cadeira confortável, enquanto toma o chá, pense em algumas pessoas que possam estar precisando de sua ajuda. Sinta uma onda de sentimentos delicados saindo de você e indo para elas.

PARA A ELEVAÇÃO ESPIRITUAL

Tome um banho de óleo de lavanda, que a deixará calma. Abra o seu coração e perdoe alguém que te magoou. Reflita no poder do perdão.

linha.gif (4711 bytes)

!